ONG CONSCIÊNCIA E ATITUDE e MICA serão parceiros no apoio ao movimento estudantil municipal

No final da tarde desta sexta, Jorge Daher, presidente do Movimento Consciência e Atitude, coordenou a primeira reunião da ONG em 2009, que contou com a participação especial de Rafael Goffi, membro da executiva nacional do MICA, Movimento Independente da Comunidade Acadêmica, entidade representativa do movimento estudantil com atuação em todo país.

Na reunião, Jorge Daher, que também é a liderança do MICA em Ribeirão Preto, definiu, juntamente com Goffi e os demais participantes a estratégia da entidade para nosso município, ficando definido que, seguindo orientação nacional, o MICA de Ribeirão irá trabalhar no sentido de enviar o maior número possível de delegados de nossa cidade aos Congressos Estadual e Nacional do Estidantes ( UEE e UNE ) com o objetivo de aumentar a participação de Ribeirão na definição dos novos rumos da educação brasileira e fazer do MICA a maior organização estudantil do país!

Para isso serão realizadas atividades junto as Universidades e Escolas de Ribeirão Preto,  ações essas, para fomentar o surgimento e fortalecimento de grêmios estudantis e centros acadêmicos. Os interessados em fundar ou obter assessoria  podem entrar em contato através do e-mail: jorge-daher@hotmail.com, ou o telefone: 9796-0204.

Mais informações sobre o MICA acesse: http://br.geocities.com/micaestudantil/

AS TRÊS PENEIRAS DE SOCRÁTES

Um rapaz procurou Sócrates e disse que precisava contar-lhe algo.

Sócrates ergueu os olhos do livro que lia e perguntou:

– O que você vai me contar já passou pelas três peneiras?

– Três peneiras?

– Sim. A primeira peneira é a VERDADE. O que você quer contar dos outros é um fato? Caso tenha ouvido contar, a coisa deve morrer aí mesmo. Suponhamos então que seja verdade.

Deve então passar pela segunda peneira: a BONDADE. O que você vai contar é coisa boa? Ajuda a construir ou destruir o caminho, a fama do próximo?

Se o que você quer contar é verdade e é coisa boa, deverá passar pela terceira peneira: a NECESSIDADE. Convém contar? Resolve alguma coisa? Ajuda a comunidade? Pode melhorar o planeta e, arremata Sócrates:

-Se passar pelas três peneiras, conte! Tanto eu, você e seu irmão nos beneficiaremos. Caso contrário, esqueça e enterre tudo. Será uma fofoca a menos para envenenar o ambiente e levar discórdia entre irmãos, colegas do planeta.

Devemos ser sempre a estação terminal de qualquer comentário infeliz.

MENSAGEM AOS LEITORES

Prezado(a) Leitor(a),

Quero agradecer muito as mais de 3000 visitas que nosso site recebeu em menos de 2 meses de criação! O grande número de acessos são a prova que a população de Ribeirão Preto reconhece o trabalho de conscientização, e também de instigação ao debate, sobre os problemas de nossa cidade e de nossa política, que realizamos aqui.

Ao verdadeiro líder político as críticas são o melhor meio de aperfeiçoamento como pessoa pública, e assim, tenho certeza, que a prefeita e os vereadores de nossa cidade, também tem muito a se beneficiar com os debates realizados aqui!

Aguardamos mais comentários, sugestões e artigos!

Obrigado por fazer parte desse projeto! VIVA A DEMOCRACIA!

Jorge Daher

DESCENTRALIZAR É PRECISO

Qual  deve ser o papel da Estado hoje? Qual deve ser seu tamanho e  quais os limites ao seu poder? Estas perguntas precisam estar na pauta das próximas eleições, e a resposta para elas deveria diferenciar claramente o lado que os partidos políticos brasileiros estão. Acredito que nosso país precisa definitivamente buscar a instauração do Estado “necessário” e prestador de serviços essenciais, um Estado pequeno, mas não invisível.

Os problemas sociais de nosso país, os milhões de brasileiros em situações de risco, infelizmente ainda necessitam da presença do Estado assistencialista e protetor. Mas excluída esta parcela importante, nos outros setores públicos e entre as classes mais favorecidas chega a hora do governo, em todos os níveis, desonerar a sociedade brasileira de impostos altíssimos para alimentar sua estrutura governamental antiquada, ineficiente, pesada e carissima, e passe a prestar os serviços públicos essencialíssimos de forma transparente e desburocratizada. O que não for da competência específica do Estado, que seja fomentada à iniciativa privada.

Os  governos, municipais, estaduais e federal, precisam abrir espaço para as empresas, as instituições de ensino, ONGs, enfim, a sociedade em geral, participe ativamente da construção do convívio social, administração e elaboração das políticas públicas urbanas, atuando e tomando decisões junto com o poder público.

A gestão dos sistemas judiciário, segurança pública, educação e saúde precisam do controle estatal porém os outros seguimentos da administração pública precisam ser compartilhados. Por exemplo: Por que um trabalhador ao invés de contribuir para o INSS não pode optar por uma previdência privada? Por que os governos tem Bancos que não beneficiam ou servem a população, mas apenas concorrem de forma desleal com os privados, por que o Estado não cumpre sua função de regular, de forma legal, os abusos dos Bancos sobre a população? Seria muito mais interessante do que manter Bancos, mais do mesmo!

O Estado necessário, não compartilhado, que deve ser pequeno, precisa também ser desburocratizado, ou seja acessível, transparente e o menos caro possível; necessita também, ser descentralizado, próximo da população, articulado e interligado pelos meios mais modernos da comunicação buscando atender as pessoas onde elas estiverem, ao invés, das pessoas terem que se deslocar até ele.

Jorge Daher

Posteriormente irei conceituar, com mais ações práticas e exemplos, as idéias expostas acima.

CÂMARA GASTA R$ 200 MIL POR ANO EM COMBUSTÍVEL

astra_sedanOs vinte vereadores de Ribeirão Preto são pessoas de sorte. Além do salário e da verba de gabinete, eles tem direito a desfrutar “para o bem da população” é claro, de gráfica, correio, veículo e combustível à vontade!

Talvez o fato dos gastos serem feitos sem controle nenhum, fez com que alguns representantes do povo abusassem um “pouquinho e gastassem quase 200 mil reais em 2008 apenas com combustível.

Ações de Mobilidade Urbana e Inclusão da Bicicleta na Cidade

A gerência da mobilidade, em um primeiro momento, concilia a gestão dos sistemas de circulação e os sistemas de transportes e, num segundo momento, integra-os às políticas de uso e ocupação do solo.
O sistema de circulação tratado com um bem escasso na sociedade e, portanto, valioso, necessita ser gerenciado pelo poder público para maximizar o bem estar social. A maximização do bem estar social se faz pelo equânime gerenciamento dos espaços viários destinados à circulação de bens e pessoas.

As diversas políticas públicas de gerenciamento dos sistemas de circulação necessitam primeiramente tratar do principal modo de circulação nas cidades, ou seja, o modo a pé. Para tal, é necessário que haja uma mudança de paradigma no tratamento do passeio. A atual legislação, que destina ao proprietário do lote a manutenção e conservação, tem sido pouco eficiente. O que se observa nas cidades brasileiras é que não existe continuidade neste sistema de circulação, ao contrário, ao longo de aclives e declives observam-se verdadeiras escadarias e o calçadas.

Pontos públicos para o aluguel de bicicletas, pagos e gratuitos, são propostas interessantes para nossa cidade.Pontos públicos para o aluguel de bicicletas, pagos ou gratuitos, são propostas interessantes para nossa cidade.

1 – Calçadas
Os proprietários
dos lotes ao não promoverem a adequação das irregularidades nos calçadas para acesso aos lotes de sua propriedade, impuseram um ônus à toda a sociedade. Assim, as calçadas passaram a não exercer sua função social de áreas de circulação e convívio, e tornaram-se áreas de conflito para os cidadãos e ciclistas que desejam se deslocar. As calçadas, quando suficientemente largas, podem comportar vias espaciais para circulação de bicicletas.

2 – Vias secundárias
O sistema de circulação interna de bairro deve ser gerenciado de forma a inibir a circulação de tráfego em altas velocidades. O interior de bairros são áreas de convívio social, de circulação de pessoas que fazem suas pequenas compras e encontram os amigos. Velocidades excessivas, além de aumentarem os riscos de morte por atropelamento, geram ruídos excessivos degradando a qualidade de vida. A limitação da velocidade dentro dos bairros, além de proteger e melhorar a qualidade de vida é medida eficaz para inclusão do ciclista. A simples limitação da velocidade a 30km/h nos bairros permite o perfeito compartilhamento da via entre motoristas, ciclistas e pedestres. Gera verdadeiras ilhas de conforto social.
Projetos geométricos, medidas de traffic calming, proteção física para pedestres e ciclistas, sinalização (tempos semafóricos para pedestres e ciclistas), fiscalização etc. são medidas que contribuem para reduzir a incidência de acidentes.

3 – Vias Arteriais – avenidas e vias expressas
A inclusão dos ciclistas em locais, onde o volume de tráfego e a velocidade dos veículos automotores sejam elevados, deve, preferencialmente, ser feita por meio da segregação de ciclistas e tráfego, preservando assim a vida daqueles que desejam se deslocar fazendo uso da propulsão humana. Ciclovias e ciclofaixas são indicadas nestes locais, especialmente quando estes caminhos são elos de um sistema cicloviário urbano.
A decisão sobre onde e quando projetar e implementar ciclovias e ciclofaixas, mais do que uma decisão técnica, é uma decisão política no sentido de que, ao priorizar um espaço público comum (a rua propriamente dita) o poder público sinaliza que, todos os cidadãos, independente da classe social, poder aquisitivo, idade etc., compartilharão e usufruirão nas mesmas condições de igualdade da infra-estrutura.

cliclofaixa Pesquisas demonstram que as ciclofaixas vem diminuindo acidentes e estimulando o uso da bicicleta, sendo ainda, mais eficiente, segura e barata que as ciclovias.

Maiores informações: www.escoladebicicleta.com.br

Mais idéias para melhorar o trânsito CLIQUE AQUI!

ONDE ESTÃO OS LÍDERES?

multidao

Vivemos  num país carente de líderes e a história nos mostra a grande falta que eles fazem. Todas as grandes nações possuíram fortes instituições, leis eficazes e verdadeiras lideranças que representavam os interesses do povo. Porém, hoje no Brasil, faltam líderes em todos os seguimentos sociais, os estudantes, os médicos, os advogados, os professores, atualmente ninguém possue pessoas como referenciais, gente que reivindique, que fale em nome de sua categoria. Contudo, a liderança que mais sentimos falta, neste tempo, é a carência de líderes na política, pessoas, de fato, comprometidas, interessadas, e capacitadas, em servir a coletividade e usar a política como forma de melhorar a sociedade.

Mas o que é um verdadeiro líder? Acredito que não encontremos  a resposta para esta pergunta atrás de uma mesa de escritório, mas sim, guiando uma longa fila. O líder é seguido espontaneamente pelos outros por estar sempre caminhando à frente. Ele não dá ordens, ele comanda através de seus exemplos. Sua presença entre as outras pessoas deve motivá-las a sempre execer um papel ativo e responsável dentro da comunidade.

O que causou esta carência de liderança? Muitas razões, mas talvez a principal causa seja o descrédito na democracia, na poder de transformação e de mudança,que gera um grande distânciamento e falta de compromisso das pessoas em relação ao contexto em que estão inseridas, seja o bairro, a faculdade ou seu país. As pessoas aguardam que outros façam as coisas que devem ser feitas, abdicam do poder de comandar totalmente seus destinos e entregam procurações, não a verdadeiros líderes, mas a interesseiros e ambiciosos.

Nossa omissão é a principal causa dos nossos problemas, isso acontece em nossas vidas particulares e ocorre com o Brasil. Precisamos acabar com este círculo vicioso, tomando a decisão de nos tornarmos verdadeiras lideranças nos meios em que convivemos, e quando isso não for possível por alguma razão, ou circunstância, temos a missão de apoiar os líderes que realmente acompanhamos e confiamos.

Com líderes em todos os seguimentos profissionais, classes sociais e municípios teremos um país muito melhor para viver, e construiremos uma nação líder, capaz de execer sua liderança construtivamente em outros países, contribuindo para fazer um mundo cada vez melhor.

Campanha “Fica Agrishow!”, o que você acha?

A Prefeitura Municipal de Ribeirão Preto lançou ontem campanha “FICA AGRISHOW!” que pretende arrecadar 100 mil assinaturas em um abaixo assinado para tentar manter a feira na cidade.

O que você acha da campanha? aqui vão algumas questões para refletirmos…

-Será uma medida de marketing para mostra que a prefeitura está tentando fazer alguma coisa e ainda manter Dárcy Vera na mídia?

-É uma ação desesperada de um governo que não sabe mais o que fazer para manter a feira? Ou é um projeto sério que pode dar certo?

-Você acha que  um abaixo-assinado é o melhor ato que a prefeitura pode desenvolver para manter um evento que movimenta bilhões de reais?

PARTICIPE deixe seu comentário abaixo!!!

OS PARTIDOS PRECISAM PENEIRAR

Por que há tanta gente ruim na política? Existe gente ruim em todas as áreas.. mas todos concordam que a política brasileira das pequenas cidades do sertão nordestino até a capital federal está infestada de políticos corruptos, interesseiros, e pessoas pouco preparadas para  exercer função pública, são homens e mulheres que entraram na política por diversas razões, infelizmente, raramente é pelo ideal de trabalhar pela coletividade e para construir um país melhor.

Existem bons políticos é verdade, porém as ações dos maus acaba ofuscando a atividade deles e é a imagem de toda a política que fica na lama.

Então uma boa atitude para começar a mudar isso é, entre outras coisas, fomentar que dentro dos partidos políticos seja realizada uma triagem criteriosa para impedir que pessoas despreparadas ou com ficha suja concorram a cargos políticos. Este seria um grande avanço, tendo em vista que a Constituição dá o direito de qualquer pessoa ser candidato, contudo os partidos são legalmente responsáveis por  “inscrever” os  candidatos, então eles poderiam exigir critérios rígidos para seus filiados obterem legenda nas eleições.

Mas ai caímos numa outra questão: por que há tanto partido ruim no Brasil?

O REMÉDIO

alienac3a7c3a3oÉ fácil percebermos a apatia da maioria dos brasileiros em relação aos acontecimentos políticos, a corrupção, a impunidade, a falta de transparência das ações governamentais e o distanciamento dos detentores do poder são alguns dos principais motivos que levam a esta indiferença das pessoas.

O único meio de acabar com esta alienação é o desenvolvimento da consciência política na população brasileira, através da formação dos cidadãos. Essa transformação precisa chegar as escolas, elas devem ocupar a função de disseminadoras da cidadania, discutindo com os estudantes a responsabilidade social a importância do voto e da democracia. Este papel das escolas deve ser acompanhado e complementado diretamente pelas famílias das crianças e jovens.

A participação política é fundamental para o estabelecimento da verdadeira democracia, pois sem participação popular o governo deixa de representar a coletividade e as leis  se distanciam das necessidades das pessoas. Sem cidadãos interessados em votar e serem candidatos nem haveria o processo democrático que existe atualmente.

A conscientização política deve promover no povo em geral a capacidade de entender o momento social e governamental permitindo que as pessoas se posicionem de maneira racional e justificada. A consciência política plena é o oposto a apatia coletiva, que na sua ignorância e passividades que permite que as grandes decisões nacionais fiquem nas mãos apenas de algumas pessoas.

A alienação política gera a corrupção, pois reelege corruptos, a alienação inibe o surgimento de novas lideranças políticas e leva a cargos públicos aventureiros  e interesseiros, cantores, apresentadores de televisão e assistencialistas.

A alienação é usada como instrumento de controle, de poderosos, sobre a população, sobretudo a mais carente. Ela é causa de miséria e péssima prestação de serviços públicos.

Não possui condições de criar, prôpor nem executar mudanças na sociedade aquele desprovido de consciência política, tendo em vista, que lhe falta as condições básicas para compreender o contexto que se encontra inserido. Então apesar de sentir os problemas e dificuldades sociais, falta-lhe discernimento para enxergar com clareza as causas, as conseqüências e os agentes, tudo facilmente se mistura e camufla para enganar os olhos ingênuos do alienado político. E esta cegueira social da qual está contaminado lhe tira o ânimo, à vontade e a coragem de tomar uma atitude, pois sem a nítida visão do chão em que pisa, temerá caminhar, e muito menos lutar por uma sociedade melhor!

Não existe país desenvolvido social e economicamente que não possua uma população consciente e participativa que acompanha, cobra e protesta sobre os acontecimentos políticos e ações do governo. Um povo assim não tolera nenhum tipo de corrupção, e pune, nas urnas, os políticos incompetentes e despreparados.

Por tudo isso é fundamental que cada um de nós faça a sua parte para transformar esta realidade que gera tantos malefícios para nosso país. Devemos lutar para o poder público desenvolver na população a consciência política e a cidadania, começando por um ensino de qualidade que além de profissionais prepare, junto com as famílias, o cidadão.