Governo lança pacote habitacional e vai construir um milhão de moradias

O governo federal lançou o programa Minha Casa, Minha Vida que planeja construir até um milhão de moradias nos próximos anos. As operações financeiras do pacote habitacional só serão desenvolvidas a partir de abril. Cartilha distribuída mostra que a parcela mínima para quem recebe até três salários mínimos será de R$ 50,00. O investimento previsto é de 34 bilhões de reais aproximadamente.

Do total, 400 mil moradias serão destinadas para quem tem renda até três salários mínimos. Outras 200 mil para quem recebe entre três e quatro salários mínimos. 100 mil para quem tem renda entre quatro e cinco salários mínimos e 100 mil para quem recebe entre cinco e seis salários mínimos. As 200 mil restantes são para população que recebe entre seis e dez salários mínimos. O montante total de financiamentos subsidiados e não-subsidiados do programa pode chegar a R$ 60 bilhões, conforme informações oficiais. Os recursos subsidiados somam R$ 34 bilhões. Os outros R$ 26 bilhões compõem financiamentos que serão pagos pelos mutuários.

No financiamento dessas moradias, o governo reduziu a alíquota de 7% do Regime Especial de Tributação da Construção Civil para 1%. Esse regime substitui a tributação de PIS, Cofins, Imposto de Renda da Pessoa Jurídica e a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido. As demandas dos estados e municípios devem priorizar o atendimento dos portadores de deficiência e os idosos.

Debate político

O PSDB criticou o programa habitacional lançado pelo governo. Em nota, assinada pelo presidente nacional do partido, senador Sérgio Guerra, classificou o novo programa como “”pactoide” habitacional”. No texto, contesta a informação do governo de que o déficit habitacional hoje é de 7,2 milhões de moradias. Com base em dados da Fundação João Pinheiro, o PSDB sustenta que o déficit habitacional é hoje de 7,9 milhões de moradias, sendo que 90,7% do total está concentrado a faixa de renda de até três salários mínimos.

Contestação

A ministra, Dilma Rousseff, minimizou as críticas da oposição. Para a ministra “todos os bons programas do governo foram sempre acusados de serem eleitorais. Sem sombra de dúvida, esse programa tem critérios muito explícitos, objetivos. Tem espaço para todo mundo”, observou.

Dilma explicou que os recursos serão distribuídos de acordo com déficit habitacional de cada estado e município, porém os governadores e prefeituras que apresentarem algum tipo de contrapartida, como doação de terreno, terão chance de receber verba maior.

Carlos Fehlberg

Fonte: http://www.politicaparapoliticos.com.br

PERGUNTA DO LEITOR

Gostaria de saber como escolher um partido ideal a mim, eu acho bacana o PSDB e o PT, mais nao sei bem em qual decidir! (Fabrício Daniel Freitas)

Pergunta interessante e complicada, pois esta é uma decisão sobre tudo pessoal. Mas vou respondê-la… O PSDB e o PT são os dois maiores e mais importantes partidos do Brasil, os dois, apesar da orientação política semelhante: centro-esquerda, acabaram por tomar caminhos distintos durante a história, o PSDB se tornou mais liberal e o PT mais radical, isso durante os 8 anos de governo Fernando Henrique. Todavia nos últimos 6 anos de governo Lula os dois partidos voltaram a adotar postura semelhante principalmente quanto a questão econômica.

O PT tem na administração Lula e na pessoa deste presidente o símbolo do “jeito PT de governar”, já no caso do PSDB é difícil apontar um líder ou uma administração modelo, podemos citar Mario Covas, Geraldo Alkmin, José Serra, Fernando Henrique, todos com características próprias mas que governaram com princípios tucanos. Vale a pena conferir isso na hora de escolher o partidos, além da teoria, entender como a legenda se comporta na prática.

Bom, para finalizar, vou deixar aqui as considerações decisivas que levaram a minha escolha, a ideologia, os princípios e os objetivos do partido precisam ser conhecidos e devemos procurar conhecer também as pessoas que fazem o partidos, afinal o partido são pessoas, são um grupo e seu ideal.

Presidente do PSDB já admite Prévia para definir o candidato

O presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra admitiu ontem que o partido poderá fazer prévias se os governadores José Serra, de São Paulo, e Aécio Neves, de Minas Gerais, não chegarem a um acordo sobre o candidato à sucessão presidencial em 2010. “Não havendo entendimento de Serra com Aécio e de Aécio com Serra, faremos prévias. E faremos tudo dentro da lei. Estamos acusando o governo de propaganda antecipada, não podemos escorregar”, afirmou o senador.

A propósito, o PSDB aguarda a resposta do Tribunal Superior Eleitoral sobre a consulta feita pelo partido sobre os limites da prévia. O relator, ministro Felix Fischer, deu parecer bastante restritivo à propaganda e ao financiamento das prévias, mas ainda falta a decisão final do Tribunal.

No PPS, aliado dos tucanos, o ex-deputado Roberto Freire, disse que adiou por enquanto a iniciativa de fazer prévias no partido para escolher preferência por Aécio ou Serra.E explica: “Pretendemos fazer, provavelmente em agosto, ao fim do congresso nacional do partido. Mas não vamos fazer agora, porque o TSE pode vir em cima de nós”, disse Freire. O presidente do DEM, deputado Rodrigo Maia, por outro lado, ressalta que o importante é a unidade em torno do candidato escolhido. “Se for escolhido em um dia, melhor. Se for em um ano, que seja um ano. Queremos um candidato que se sinta representando por todos”.

Carlos Fehlberg

Fonte: http://www.politicaparapoliticos.com.br

Grandes Discursos: RUY BARBOSA NA BAHIA

O discurso de Ruy Barbosa é dirigido “Aos Professores e Estudantes da Bahia”, e foi pronunciado na Faculdade de Medicina da Bahia no dia 14 de abril de 1919.  Ruy, consagrado mestre da oratória, em 1910, havia disputado a presidência e perdido para o General Hermes da Fonseca, fazendo a campanha que se tornou conhecida, como a “campanha civilista”.

O DISCURSO

Tudo, na Bahia, é grande, tudo, menos os que a governam. Esses, tão pequenos diante dela se sentem, que, neste momento, quando ela se revela toda na maior expansão conhecida até agora de sua grandeza, a evitam, a fogem, a distanciam de si, mais que nunca, receando-lhe a vista, não ousando encarar-lhe a majestade, e temendo-lhe os movimentos.

Não, senhores; ninguém jamais viu esta cidade inteira nas ruas, com essa intensidade ondulosa das grandes marés em crescente, como neste dia de inundação popular, em que todos os logradouros públicos se enchem de vagas humanas; em que as artérias da sua circulação lhe intumescem, como se estivessem a romper-se de supertensão que as dilatam; (….) Em que diríeis ver a Bahia toda respirando, pulsando, existindo numa só vontade, numa só consciência, num só coração, na harmonia de todos os seus em um espírito de harmonia divina. (…)

Esta mesma reunião de intelectuais, na qual “não entram paixões inferiores”, como bem disse, há pouco, o ilustre catedrático, que me acaba de falar em nome dos corpos docentes, esta mesma reunião da flor da nossa intelectualidade, não encontraria lugar, onde exercesse seus direitos, se o oficialismo, que lhe cerrou as portas, lograsse obstar a que se nos achassem abertas as desta Faculdade, pelo espírito liberal de seu diretor (….)

É, senhores, que a ciência e a liberdade são irmãs. A ciência não prospera senão à sombra da liberdade. A liberdade não prevalece, a verdadeira liberdade, senão estribada na ciência, alumiada pela ciência, e com a ciência consorciada na mútua aliança dos valores de ambas.

A opressão, pelo contrário, não subsiste senão graças à união forte da ignorância com a estupidez. Essa união pode ocupar tronos e ser conduzida em carros triunfais. Mas esses carros de triunfo, quem os tira, é a parelha do analfabetismo com a brutalidade. Mas esses tronos, onde assentam, é nos capachos da imbecilidade e do servilismo.

Ela não tolera o merecimento e a superioridade, não suporta a competência e o saber. Sua inconciliabilidade absoluta com a luz, com a limpeza, com a lisura, com a legalidade a condena a viver nas trevas, a detestar a instrução, a excluir a capacidade, a cevar a baixeza, a incitar o ódio, a se apoiar na violência, a desenvolver a selvageria, a chafurdar na imoralidade. Invejosa e malquerente, voraz e insaciável, libertina e concubinária, ostenta, nos seus paços a lascívia e a mancebia, pratica, nos seus atos, a espoliação e o latrocínio, cultiva, nas suas relações, a intriga e a mentira, converte, em suma, o poder público no espojadouro dos instintos mais ruins da besta humana e na proscrição das nossas qualidades superiores.
Ainda ontem, senhores, nesta capital, a vitoriosa atitude do povo bahiano se viu grosseiramente maculada pelas alarvarias da capangagem, que o governo atrela, o governo desaçama, o governo assoldada a expensas do tesouro público, notória, clamorosa, e cinicamente roubado pelos seus guardas.

Ainda ontem, eleitores, transeuntes e, até mulheres, experimentavam nas seções eleitorais as agressões dos sicários da polícia, e seus delegados. Assim, ontem, nas mesas eleitorais, se ostentava o escândalo da insolente prepotência das armas do jagunço em franca hostilidade ao eleitorado. (…)

Ainda ontem, por toda a parte, na superfície do Brasil, eram rejeitados os meus fiscais, era negada a consignação nas atas aos seus protestos, e milhares de eleitores nossos deixavam de votar, porque, sendo conhecida a cor de seus sufrágios, não se reuniam as mesas, para lhos receber.

Que posso eu, que valho eu, que sou eu, senhores, para servir de barreira a esses embates da força, desencadeadas pelo elemento oficial e garantida por ele nos seus crimes? (…)

Nossa reação, que a não estar próxima, já chegará tarde, grande papel vos reserva, homens da inteligência e do saber, homens da palavra e da tribuna, homens do ensino e da pena, grande papel vos reserva a natureza das energias, que, profissionalmente, vos devem caracterizar. (…)

Acima de todos os elementos da organização, de administração de regeneração, acima de todos se acha, evidentemente, como a mais política de todas as forças políticas, a inteligência, a cultura, a ciência. (…)

Se disto ainda vos não sentísseis cabalmente certos, bastaria atentardes no exemplo de agora. Todo este movimento nacional, que, em só quarenta e cinco dias de trabalho, ou nos terá dado também a vitória material, ou com a vitória moral, já obtida, deixará ferida mortalmente a vitória de nossos adversários, todo esse movimento é obra das forças imateriais, das forças intelectuais, das forças morais da nossa terra, em luta contra este obscurantismo, com essa incompetência, com essa amoralidade, que reinam sobre o Brasil.

QUANTO VALE UM VEREADOR?

Uma notícia marcante da semana passada foi a detenção de 5 vereadores da cidade de Igarapava, no interior de São Paulo, sob acusação de que eles estariam exigindo do prefeito o pagamento de mesada, de até 5 mil reais, para votar as leis propostas pelo executivo.

Espero que este acontecimento triste tenha um final com justiça. Contudo, uma discussão que deve voltar a tona é se os vereadores deveriam receber salários ou não, se os altos salários que eles recebem são justos ou uma ajuda de custo seria mais condizente com a realidade.

Um dos motivos para o pagamento de salários a vereadores, juízes, delegados, por exemplo, é evitar que eles precisem se corromper por dinheiro, mas não é isso que acontece, encontramos corrupção em todos as escalas e remunerações.

Este tema está na pauta da reforma política com o debate se vereadores de municípios com menos de 500 mil habitantes devem receber salários, esta discussão é importante para o Brasil pois as câmaras municipais custam bilhões de reais todos os meses, devemos refletir: será que este dinheiro está sendo bem empregado, ou seja, revertido para o povo?

REFORMA POLÍTICA 2: PROIBIÇÃO DA DIVULGAÇÃO DE PESQUISAS ELEITORAIS

Divulgação de pesquisas

Os órgãos de levantamento de pesquisas de opinião são perigosos instrumentos de manipulação econômica e eleitoral quando empregados por indivíduos ou grupos pouco escrupulosos. Podem facilmente mudar o rumo de uma eleição.

Nas eleições 1998, por exemplo, houve deliberada manipulação de dados eleitorais que prejudicou diversos candidatos e alguns partidos. Tão grave foi o problema que no final do mesmo ano foi aprovada uma CPI no Congresso.

Na maioria dos países da comunidade européia é proibida a veiculação de pesquisas de intenção de votos, não sendo possível a sua apresentação antes que a eleição esteja encerrada.

Desta forma, o projeto apresentado acrescenta o seguinte inciso III ao § 3º do art. 220 da Constituição Federal, permitindo uma posterior restrição à divulgação destas pesquisas:

PROPOSTA DE ALTERAÇÃO CONSTITUCIONAL

“Art. 220. …………………………………………………..

………………………………………………………………….

§ 3º Compete à lei federal:

III – estabelecer restrições à divulgação de pesquisas eleitorais, a fim de preservar a vontade do eleitor”.

RIBEIRÃO

Nas eleições do ano passado aconteceram fatos questionáveis, como pesquisas que só eram divulgadas nos momentos que interessava a grupos e candidatos. Além disso, aconteceu um “erro” grosseiro, Welson Gasparini que chegou a aparecer com 9% em pesquisas obteve 34% dos votos.

Direitos Básicos do Consumidor

Hoje é o Dia do Consumidor, então vamos falar um pouco sobre os direitos do consumidor brasileiro. Antigamente não existia uma lei que protegesse as pessoas que comprassem um produto ou contratassem qualquer serviço, se você comprasse um produto estragado, ficava por isso mesmo, se o vendedor quisesse trocar, trocava, mas se não quisesse trocar, você ficava no prejuízo e não tinha a quem recorrer. Em março de 1991 entrou em vigor a Lei nº 8.078/90, que é mais conhecida como Código de Defesa do Consumidor. Essa lei veio com toda a força para proteger as pessoas que fazem compras ou contratam algum serviço.

Os direitos básicos do Consumidor, conforme estabelece o próprio Código de Defesa do Consumidor, são:

1 – Proteção da vida e da saúde
Antes de comprar um produto ou utilizar um serviço você deve ser avisado, pelo fornecedor, dos possíveis riscos que podem oferecer à sua saúde ou segurança.
2 – Educação para o consumo
Você tem o direito de receber orientação sobre o consumo adequado e correto dos produtos e serviços.
3 – Liberdade de escolha de produtos e serviços
Você tem todo o direito de escolher o produto ou serviço que achar melhor.
4 – Informação
Todo produto deve trazer informações claras sobre sua quantidade, peso, composição, preço, riscos que apresenta e sobre o modo de utilizá-lo.
Antes de contratar um serviço você tem direito a todas as informações de que necessitar.
5 – Proteção contra publicidade enganosa e abusiva
O consumidor tem o direito de exigir que tudo o que for anunciado seja cumprido.
Se o que foi prometido no anúncio não for cumprido, o consumidor tem direito de cancelar o contrato e recebera devolução da quantia que havia pago.
A publicidade enganosa e a abusiva são proibidas pelo Código de Defesa do Consumidor. São consideradas crime (art. 67, CDC).
6 – Proteção contratual
Quando duas ou mais pessoas assinam um acordo ou um formulário com cláusulas pré-redigidas por uma delas, concluem um contrato, assumindo obrigações.
O Código protege o consumidor quando as cláusulas do contrato não forem cumpridas ou quando forem prejudiciais ao consumidor. Neste caso, as cláusulas podem ser anuladas ou modificadas por um juiz.
O contrato não obriga o consumidor caso este não tome conhecimento do que nele está escrito.
7 – Indenização
Quando for prejudicado, o consumidor tem o direito de ser indenizado por quem lhe vendeu o produto ou lhe prestou o serviço, inclusive por danos morais.
8 – Acesso à Justiça
O consumidor que tiver os seus direitos violados pode recorrer à Justiça e pedir ao juiz que determine ao fornecedor que eles sejam respeitados.
9 – Facilitação da defesa dos seus direitos
O Código de Defesa do Consumidor facilitou a defesa dos direitos do consumidor, permitindo até mesmo que, em certos casos, seja invertido o ônus de provar os fatos.
10 – Qualidade dos serviços públicos
Existem normas no Código de Defesa do Consumidor que asseguram a prestação de serviços públicos de qualidade, assim como o bom atendimento do consumidor pelos órgãos públicos ou empresas concessionárias desses serviços.

Práticas Abusivas

– O fornecedor não pode condicionar a venda de um produto à compra de outro produto, ou seja, para levar um produto, você não pode ser obrigado a comprar outro, por exemplo, para levar o pão, você tem de comprar um litro de leite. Isto se chama VENDA CASADA e é proibido por lei.
– É proibido ao fornecedor esconder um produto e dizer que o produto está em falta.
– Se algum fornecedor enviar-lhe um produto que você não pediu, não se preocupe! Receba como se fosse uma amostra grátis.
– E se alguém prestar a você um serviço que não foi contratado, não pague. A lei garante que você não é obrigado a pagar (art. 39, parágrafo único, CDC).
– O fornecedor não pode prevalecer-se da fraqueza ou ignorância do consumidor, tendo em vista sua idade, saúde, conhecimento ou posição social, para impingir-1he seus produtos ou serviços.
– O fornecedor não pode exigir do consumidor vantagens exageradas ou desproporcionais em relação ao compromisso que ele esteja assumindo na compra de um produto ou na contratação de um serviço. Antes de comprar, pesquise o preço em outras lojas.
– Quem vai prestar-lhe um serviço é obrigado a apresentar, antes da realização do trabalho, um orçamento (Art. 40, CDC).
– Neste orçamento tem de estar escrito o preço da mão-de-obra, o material a ser usado, a forma de pagamento, a data da entrega e qualquer outro custo.
– O fornecedor não pode difamar o consumidor só porque ele praticou um ato no exercício de um direito seu.
– Existem leis que explicam como um produto ou um serviço devem ser feitos. O fornecedor não pode vender produtos ou realizar serviços que não obedeçam a essas leis.
– O fornecedor é obrigado a marcar um prazo para entregar um produto ou terminar um serviço.
– Elevar, sem justa causa, os preços de produtos e serviços.
– O fornecedor poderá aumentar o preço de um produto ou serviço apenas se houver uma razão justificada para o aumento.
– O fornecedor é obrigado a obedecer ao valor do contrato que foi feito. Não pode aumentar o valor do produto ou serviço se o aumento não estiver previsto no contrato.

Prazos

O prazo para você reclamar de vícios fáceis de se notar em produtos ou serviços é de:
– 30 (trinta) dias para produtos ou serviços não duráveis. Por exemplo: alimentos, serviço de lavagem de roupa numa lavanderia.
– 90 (noventa) dias para produtos ou serviços duráveis. Por exemplo: eletrodomésticos, reforma de uma casa, pintura de carro.
Estes prazos são contados a partir da data que você recebeu o produto ou que o serviço terminou.
Se o defeito for difícil de se notar (vício oculto), os prazos começam a ser contados da data em que o vício apareceu.

Como e Onde Reclamar

– Muitas empresas já possuem o Serviço de Atendimento ao Consumidor – SAC, que atende às reclamações e procuram resolver o problema.
– Você pode encontrar o telefone do SAC nas embalagens dos produtos.
– Quando for reclamar conte, em detalhe, tudo o que aconteceu, para ajudar a resolver seu problema. Leve a nota fiscal, pedidos, certificado de garantia, contrato, recibos e outros documentos que tiver.
– Depois de reclamar, guarde com você a prova de sua queixa: protocolo, código de reclamação, etc.
– Não se esqueça de anotar o nome e o cargo da pessoa que o atendeu.
– Guarde sempre a nota fiscal dos produtos que você comprou e os recibos dos valores que pagou em caso de prestação de serviços. Só com estes documentos você pode reclamar, por exemplo, de um produto com defeito ou de um serviço mal feito.
Recorra a um órgão de proteção ao consumidor.
– Se você não resolver seu problema com o fornecedor de um produto ou serviço, procure o PROCON.
– Já existem Procons em todas as capitais e em diversas cidades do interior.
– Os Procons ajudam você a resolver seu problema tentando um acordo entre o fornecedor e você.
– Os Procons atendem o consumidor com problemas nas áreas de: Alimentos, Assuntos Financeiros, Habitação, Educação, Produtos, Saúde e Serviços.-
– Para receber orientação ou fazer uma reclamação, telefone para o PROCON, ou vá pessoalmente ao órgão.
– Sempre que fizer uma reclamação, forneça seus dados pessoais (nome, telefone, endereço, etc.).
– Se não fornecer estes dados, a reclamação não poderá ser encaminhada. Reclamações anônimas não serão aceitas.
– Você deve ter também os dados do fornecedor: nome, endereço e telefone.
– Os outros documentos necessários para resolver seu problema são a nota fiscal, recibo, o pedido, ou contrato e detalhes sobre o produto ou o serviço reclamado, além de cópias dos documentos pessoais.

– Guarde com você os originais dos documentos de compra do produto ou de pagamento de um serviço.

Conheça e exija seus direitos. Boas Compras!

REFORMA POLÍTICA 1: O VOTO DISTRITAL MISTO

A Reforma Política vem sendo muito debatida e aguardada nos últimos anos, na expectativa de que este ano enfim ela esteja na pauta do Congresso, nos próximos dias vamos discutir no site os temas mais importantes desta reforma imprescindível para nosso país.

O VOTO DISTRITAL MISTO

Criado na Alemanha após a 2ª Guerra Mundial, o voto distrital misto permite a combinação de dois modelos: o voto aberto em nomes e a lista partidária. No sistema distrital, os estados e os municípios são divididos em distritos, geograficamente limitados.

O eleitor vota duas vezes: o primeiro voto vai para a lista partidária de sua preferência e o segundo, para o candidato do distrito de domicílio do cidadão. Metade das vagas é preenchida pelo vencedor da eleição distrital. A outra, pelos candidatos selecionados na lista partidária.

A implantação do sistema de voto distrital em muito pode contribuir para a melhora do processo eleitoral, aumentando a proximidade do eleitor com o candidato e conseqüentemente a transparência da eleição, diminuindo os custos da campanha e facilitando que o cidadão acompanhe e fiscalize de perto os políticos, antes, durante e depois do pleito.

Além disso, esta mudança aumentaria a representatividade de todas as regiões do país no cenário político e corrigiria distorções como a vitória de candidatos “pop star” como Clodovil e Frank Aguiar, candidatos que não tem nenhuma atuação nas comunidades onde moram, contudo foram eleitos por, com poder econômico e popularidade, obter votos dispersos por todo o Estado.

TRIBUNAL DE JUSTIÇA BARRA SALÁRIOS EM RIBEIRÃO

O Tribunal de Justiça do Estado barrou liminarmente o pagamento de salários considerados inconstitucionais a vereadores, prefeita e vice-prefeito, reajustados em lei aprovada pela Câmara Municipal no ano passado.

A lei prevê que o salário do vereador seja 75% da remuneração do deputado estadual, incluindo verba de gabinete, pagamento por sessões exta-ordinárias e ajuda de custo. Prevê ainda reajuste anual na mesma porcentagem dos servidores e pagamento  de 13º salário para prefeita, vice-prefeito e vereadores.

Em sua decisão o relator do TJ declarou que tais reajustes iriam sobrecarregar indevidamente o orçamento público de forma irreparável.

É sempre bom ver absurdos serem corrigidos, assim lembramos que no Brasil ainda há justiça!

Contudo ainda precisamos esperar o dia em que os salários e os benefícios dos políticos serão condizentes com a realidade brasileira e que seus assessores sejam obrigados a bater ponto como qualquer trabalhador!

Obama libera pesquisa com células-tronco com dinheiro federal nos EUA

O presidente Barack Obama anunciou nesta segunda (9) a liberação de dinheiro do governo federal americano para pesquisas com células-tronco embrionárias humanas. Obama disse que “milagres médicos não acontecem apenas por acidente” e prometeu que sua administração iria recuperar o terreno perdido pelo governo de George W. Bush.

Cumprindo uma promessa de campanha, Obama assinou uma ordem executiva que deve dar novo impulso às pesquisas. A iniciativa do presidente desfaz uma diretiva de 2001, na qual George W. Bush proibiu que investimentos federais fossem usados para pesquisa com linhagens de células-tronco criadas após aquela data. A justificativa de Bush era a defesa da vida humana, porque embriões com alguns dias de existência são destruídos para obter as linhagens de células-tronco.

Durante o governo Bush, as pesquisas com embriões permaneceram liberadas nos EUA — contanto que não usassem dinheiro do contribuinte em nível federal.

Equilíbrio difícil

Obama disse que sua decisão representava “um equilíbrio difícil e delicado”, mas que ele apoiava “a maioria dos americanos”, favorável ao aumento do financiamento federal desse tipo de pesquisa, tanto porque um monitoramento mais severo impediria problemas quanto pelo potencial de salvar vidas que ela traz.

“Em vez de impulsionar descobertas, nosso governo forçou o que me parece ser uma falsa escolha entre ciência sólida e valores morais”, declarou Obama. “Neste caso, creio que os dois não são inconsistentes. Como pessoa de fé, creio que somos chamados a cuidar uns dos outros e trabalhar para aliviar o sofrimento humano. Acredito que nos foram dadas a capacidade e a vontade de avançar nessas pesquisas, e a humanidade e a consciência de fazer isso de forma responsável.”

Fonte: Portal G1

Comente está notícia!

Você acha que o governo brasileiro deveria seguir o exemplo dos Estados Unidos liberando, e inclusive patrocinando, pesquisas com células-tronco?