Dia Mundial do Meio Ambiente e da Ecologia

O meio ambiente passou a ser um tema de grande preocupação para todos os países e indivíduos de diferentes classes sociais, religiões e culturas.

Esse dia é utilizado em todo mundo para chamar a atenção politica para os problemas que afetam o meio ambiente, como por exemplo, a poluição da água, poluição do ar pelas indústrias ou frota de carros, lixo, contaminação do solo por defensivos agrícolas, desmatamento das florestas e das matas ciliares na beira dos rios, inundações, secas, fome, diminuição das espécies de seres vivos.

Se existe um assunto tão em moda, tão discutido e ao mesmo tempo tão carente de ações e novos olhares, podemos dizer que é o meio ambiente.

Nessa data, presidentes, ministros e secretários do meio ambiente, fazem discursos e aprovam leis se comprometendo a resolver os problemas ambientais que afetam o planeta. As mais sérias promessas têm sido realizadas, que vão de leis que favorecem a conscientização a educação ambiental, o estabelecimento de estruturas governamentais para fornecer regras ao gerenciamento ambiental e planejamento econômico, visando estimular a vida sustentável ao planeta.

O termo desenvolvimento sustentável foi definido como “desenvolvimento que satisfaz as necessidades do presente sem comprometer a capacidade de as futuras gerações satisfazerem suas próprias necessidades”.

Surge a necessidade de se pensar em novas formas de desenvolvimento, favorecendo o crescimento tanto em países industrializados como em desenvolvimento, inclusive ligando a superação da pobreza nestes últimos ao crescimento contínuo dos primeiros.

É a partir do Rio + 20 Conferencia das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável que será realizado nos dias 13 a 22 de junho na cidade do Rio de Janeiro, que a definição de desenvolvimento sustentável toma sentido mais largo e reconhece que a sociedade, meio ambiente e economia, são as três dimensões básicas e que cada uma depende sistematicamente das outras.

O meio ambiente necessita de novas perspectivas em relação ao desenvolvimento propondo novos principios éticos, e uma nova proposta de pensamento econômico, tecnológico e educativo para se chegar a uma nova racionalidade que abarque um conjunto de mudanças sociais para internalizar e transformar as bases ecológicas e sociais que levarão ao desenvolvimento sustentável.

Para mudar o quadro de instabilidade ambiental ao qual a sociedade se situa, é preciso uma ação coletiva intensa e imediata. Deve-se compreender que os maiores problemas ambientais são gerados por todos habitantes. Conscientização, mudanças de valores e participação politica é a melhor saida para o desenvolvimento susntentável e o melhor cuidado do meio ambiente.

A água nossa de cada dia

José Roberto Gomes de Paula Júnior*

A ONU – Organização das Nações Unidas escolheu o período de 2005 a 2015 como a Década Internacional da Água, com o lema: “Água, fonte de vida”. O dia 22 de março, de cada ano, é destinado à discussão sobre os diversos temas relacionados a este importante bem natural. Falamos diariamente sobre a água. Ela faz parte da nossa vida em diversos momentos, cuja falta impossibilita a vida no planeta, é um bem universal e de direito de todos. Elemento sem cor, sem cheiro e sem sabor, mas que nos inspira a refletir o seu papel na saúde dos homens e do bem que favorece o desenvolvimento e o progresso. Somos hoje 6,5 bilhões de habitantes com um consumo diário de 40 litros de água por pessoa, tomando banho, escovando os dentes, lavando as mãos. A cada minuto no chuveiro gastamos de 3 a 6 litros de água. Podemos citarmaus hábitos como por exemplo:lavar calçadas, lavar carros nas calçadas, banhos longos e por que não citar, a falta de manutenção na distribuição de água na cidade, causando vazamentos em vários setores. Ribeirão Preto situa-se no maior reservatório de água potável do planeta (água que pode ser consumida por pessoas), também chamado de “AquíferoGuarani”. OAquífero Guarani é uma importante reserva estratégica para o abastecimento da população, para o desenvolvimento das atividades econômicas e para o lazer. Os problemas trazidos pela má utilização da água, pela poluição por resíduos químicos e o aquecimento do planeta estão fazendo os estoques de água doce diminuiremdrasticamente, causando problemas sociais, ambientais e de saúde pública. Esse quadro critico, nos leva a refletir rapidamente sobre como nós nos relacionamos com o uso da água exigindo: bom senso, educação, consciência e participação politica na busca de melhores condições para todos. Algumas dicas valiosas:

  1. Durante o banho, desligue o chuveiro para se ensaboar e reabra para se enxaguar. Não tome banhos demorados;
  2. Feche a torneira enquanto escova os dentes ou faz a barba;
  3. Evite lavar as calçadas, elas podem ser varridas;
  4. Use regador ao invés de mangueira para molhar as plantas e prefira horários menos quentes, para diminuir a evaporação da água.

*José Roberto é Biólogo formado pela UNESP Jaboticabal, Especialista em Educação Ambiental pela Universidade Federal de São Carlos, Mestrando em Educação (Linha de pesquisa em Educação Ambiental) pela UNESP Rio Claro. Colaborador do blog http://www.jorgedaher.com.br.

Denúncia urgente: Aquífero Guarani ameaçado

Estive na tarde de ontem, 18/02, na lagoa do Interlagos, zona leste de Ribeirão Preto, e pude presenciar pessoalmente um crime ambiental de grandes proporções. No meio do matagal registramos um duto que despeja, 24 horas por dia, esgoto sem tratamento na lagoa que é área de recarga do Aquífero Guarani, maior reserva de água potável do mundo.

No local já é possível encontrar imensas áreas de assoreamento da lagoa e desmatamento da mata nativa, tudo onde deveria haver uma preservação ambiental. Além disso, diversas obras irregulares foram construídas ou estão em conclusão, uma deles em cima do duto, ou seja, em cima de diversos gazes nocivos e que poderão levar a explosões e desabamentos.

Realmente sai estarrecido com a realidade que encontre naquele local, uma linda área que poderia ser um lindo parque ecológico, preservando uma das maiores riquezas de nosso país: a água, está sendo criminosamente destruído dia-a-dia, diante da conivência do Poder Público, e a situação só não está pior graças a guerreiros solitários como o sr. Waldemar, morador de condomínio e que defende com unhas e dentes a recuperação da região e o sr. Carlos que sozinho, e voluntariamente, limpa e cuida de todo o entorno da lagoa.

Ainda há esperança desde que hajam ações rápidas, efetivas e com apoio do Poder Público e da população. Façamos também, como cidadãos, nossa parte e só assim garantiremos que nossos filhos e netos desfrutem da (antiga) “Lagoa Azul” e, principalmente, nossa cidade e nosso país não sejam lembrados pela história como os destruidores de um patrimônio natural da humanidade que é o Aquífero.

ASSISTAM OS VÍDEOS QUE GRAVAMOS NO LOCAL:

PEQUENAS ATITUDES PARA SALVAR O PLANETA

A Granol S/A e Savegnago Supermercados estão formando uma parceria em favor da saúde e do meio-ambiente

Como?

Através da troca de óleo de cozinha velho, por óleo novo Granol. Todas as vezes que você reutiliza o óleo no preparo dos alimentos e depois despeja na pia, está prejudicando sua saúde e poluindo o meio ambiente.

Participe com a Granol e o Savegnago do “Projeto Biodiesel Granol”, que transforna todo óleo de fritura em combustível de ônibus, caminhões, barcos, geradores de eletricidade, etc.

Traga de sua casa óleo de fritura usado, em garrafas de refrigerante Pet 2 litros e troque no Savegnago por uma garrafa de óleo novo Granol. granol_garrafa1granol_garrafa2

Colabore com este projeto!

Assim você economiza, ajuda a melhorar o meio-ambiente e a saúde da sua família.

Sua participação vai transformar esta parceria em um grande sucesso!

A DESTINAÇÃO DO LIXO URBANO

Welson Gasparini, autor deste artigo, é advogado e ex-prefeito de Ribeirão Preto.
Welson Gasparini, autor deste artigo, é advogado e ex-prefeito de Ribeirão Preto.

É obrigação dos que exercem os poderes públicos e de todos nós, uma preocupação constante quanto ao nosso meio ambiente.

Entre as questões relacionadas a este setor, destaca-se a preocupação com a destinação do lixo urbano.

Atualmente, o chamado lixo hospitalar que precisa de cuidados especiais é incinerado e o lixo domiciliar é levado para o aterro sanitário de Guatapará, pois o aterro local teve sua capacidade de uso esgotada.

É preciso cuidar com estudos e ações administrativas que possam representar soluções ambientais melhores e mais econômicas. De imediato precisa ser ampliada a coleta seletiva do lixo que deverá atingir todo o perímetro urbano. De forma organizada e racional será possível conseguir transformar expressiva parcela do lixo coletado em novo uso e com rendimento econômico.

Quando fui Prefeito pela primeira vez, a Fundação Ribeiro Pinto construiu em nossa cidade uma usina de tratamento do lixo, que fazia a reciclagem e transformava o lixo orgânico em adubo para ser usado na zona rural. Assim funcionou durante vários anos, mas infelizmente depois encerrou suas atividades.

É importante que a administração municipal desenvolva estudos técnicos analisando as diversas soluções de destinação do lixo. Ao que sei a Câmara Municipal, tem vereadores cuidando também desta questão.

Uma iniciativa econômica e ecológica que também deva ser avaliada com prioridade é o funcionamento na Usina Verde, projeto cuja parte tecnológica foi desenvolvida pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e que funciona na Ilha do Fundão, próxima ao Hospital Universitário.

Na referida Usina os resíduos possíveis de serem reciclados são retirados e o restante é incinerado. Cerca de 90% do peso do lixo é transformado em energia elétrica.

Comecei a cuidar deste assunto, mas ele é muito complexo e o Secretário Estadual do Ambiente disse-me então que no estado de São Paulo não havia nenhuma iniciativa dessa ordem. Mas, vale à pena continuar os estudos, pois talvez seja possível até a habilitação para recebimento de créditos de carbono que são negociáveis em troca da não poluição ambiental.

Vale a pena aprofundar os estudos sobre melhor destinação do lixo urbano.